Vivendo com as escolhas

O pai de Alessandra Valle ficou magoado quando a filha fez sua primeira tatuagem, há um mês. Ela tatuou a frase “Chega de saudade” na costela e por várias vezes tentou convencer o pai a mudar de opinião antes de marcar a pele definitivamente. Chegou a adiar a tatuagem por algum tempo, mas como o pai se mostrou irredutível em todas as tentativas, decidiu tatuar a frase mesmo sem o seu consentimento.

Arquivo pessoal de Alessandra Valle

Arquivo pessoal de Alessandra Valle

Alessandra, que sempre adorou tatuagens, sabia que o pai tinha uma opinião bastante contrária a sua. “Meu pai sempre detestou tatuagens, diz ser coisa de marginal”. Ela entende que a opinião do pai pode ser influenciada pela idade e pela religião, mas não desistiu da sua vontade de marcar a pele.

Depois que fez sua primeira tatuagem, a opinião do pai não mudou. Mas a filha não pretende que a frase seja sua única tatuagem. Ela sabe que o pai será contra, mas aos 21 anos já tem autonomia sobre o seu corpo e suas escolhas.

“Quando saí do estúdio já estava pensando na próxima tatuagem”.

Fora de casa, Alessandra conta que a recepção à tatuagem foi boa. “Todos que souberam que eu fiz ou que viram pessoalmente acharam bem legal”. No entanto, ela admite que um dia pode vir a sofrer preconceitos por causa da escolha que fez.

“A gente sofre preconceito por coisas tão bobas, como ser gordinho ou usar óculos, incluo a tatuagem nesse rol e por isso fiz em um lugar escondido.”

Por fazer faculdade de Direito, o local da primeira tatuagem também foi influenciado pelo futuro profissional. “Pretendo fazer concurso público e não sei quais as consequências negativas que a tatuagem pode trazer nesse sentido”.

Apesar das adversidades com pai e a futura profissão, a própria tatuagem de Alessandra dá a ela uma resposta sobre tudo isso. Para Alessandra, a frase representa que o passado já passou, e que não vale à pena ficar remoendo e se martirizando por situações que não vão mudar.

“As pessoas que somos hoje resultam das escolhas que fizemos, e não acho certo julgar alguém pelo que já foi feito sem saber seus verdadeiros motivos.”

Conheça mais histórias!

Ana Sofia • Katarina • Renata • Laís e Rachel

Mapa com curiosidades • Senha para ler ‘Pra que julgar?‘: TATUAGEM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s